17.10.2017

É hora de se preparar para o final do ano

Setor de vestuário historicamente tem salto de vendas na época de festas

Vestuário em shoppings: é hora de se preparar para o fim do ano
Revista AlShop – Setembro/2017 (por Gabriel Mariotto)

Estamos entrando na reta final do ano de 2017 e já começam os preparativos para as vendas do fim do ano. Dada a base de dados de mais de 500 milhões de vendas por mês realizadas em todos os municípios do país, por meio de 2 milhões de comércios que vendem pelas plataformas da Cielo, podemos acompanhar de perto como estão as vendas no varejo. Por ser uma fotografia real do desempenho do setor, não há como prever se o ritmo de crescimento das vendas no período das festas de final de ano será melhor ou pior que no ano passado. Mas dá para afirmar que alguns setores já vem apresentando clara melhora em 2017.

É o caso do Vestuário, conforme nos aponta o ICVA – Índice Cielo do Varejo Ampliado. Se observarmos o histórico do índice, mostrado na imagem, o setor vinha apresentando retração nas vendas – mesmo sem descontar a inflação – desde o terceiro trimestre de 2015. Ou seja, os lojistas enxergavam sua receita de vendas em reais cair em relação ao mesmo período do ano anterior. Mas essa realidade mudou. E para melhor. No primeiro trimestre deste ano, o faturamento das lojas de roupas, acessórios e artigos esportivos cresceu em média 1,8% em relação ao mesmo período de 2016. E, no segundo trimestre, esse ritmo ainda acelerou para 2,0% de crescimento.

Pode até parecer pouco, mas é uma recuperação expressiva se analisarmos o histórico recente. Mais do que isso, como podemos ver no gráfico, essa taxa de crescimento já está mais alta do que a média do varejo em geral, que inclui muitos outros setores, como Supermercados, Postos de Combustíveis, Drogarias, Turismo, Bares e Restaurantes, Materiais de Construção, Móveis, Eletro e Lojas de Departamento, entre outros.

Para os Shoppings, o que há de interessante nessa história é que a participação do setor de vestuário é muito relevante, enquanto no varejo geral, incluindo lojas em todos os tipos de localidades, o vestuário representa 12% do faturamento de vendas, nos Shoppings este percentual sobe para 36%. Portanto, uma recuperação deste setor é um ótimo sinal tanto para a administradores de Shoppings quanto para os lojistas ali instalados.

Além disto, o setor de Vestuário é um dos que tem o maior salto de vendas no final do ano historicamente, fortemente influenciadas pelas vendas de Natal. Aproximadamente 14% das vendas anuais deste setor são feitas no mês de dezembro. Assim, é importante estar preparado para receber este pico de demanda.

Ainda que não seja possível prever como serão as vendas neste final de ano, o cenário é de melhora – especialmente para um setor tão relevante como o de Vestuário. Então, é importante fazer a “lição de casa” e aproveitar essa onda para garantir um bom fechamento de ano. Estamos juntos nesta empreitada!